Ninguém vende empoderamento

Eu tenho uma amiga, a Jossana, que tem uma marca maravilhosa, a Joss que, ao invés de vender “roupas para gordas com estampas que disfarçam” ela vende com frases maravilhosas, empoderadas e mesmo divertidas que já foram compradas até pela Mc Carol. Loosho né?

joss-1
#Acessível: Foto da MC Carol usando a camiseta XL Bundhen da Joss

E não só isso, a Joss também vende estampas que são famosinhas lá fora e ela trouxe pra gente como esta maravilhosa abaixo:

joss-2
#Acessível: Jossana usando uma camiseta escrita “Não meu bem, você é mais magra que eu, não mais bonita” porém em inglês.

E quanto às lingeries da Virall Retrô? Você já conhece?

virall
#Acessível: Duas modelos, uma gorda e uma magra, usando lingerie da Virall Retrô

Também tem uma marca que eu AMO que é A Minha Praia É que fez o famoso Biquíni Maravilha (por favor mandem mensagens para que ela volte a fazer o bendito).

maravilgha

Antes que me perugntem, isso NÃO É UM PUBLIEDITORIAL. A única coisa que eu ganho aqui é a consciência de indicar marcas de qualidade e ainda incentivar o consumo de pequenas produtoras.

Agora vem cá. Você entendeu que a Joss vende camisetas certo? E que a Virall vende biquínis e lingerie? E que A Minha Praia É vende biquínis e várias outras roupas legais? Ou seja, você entendeu que  LOJAS VENDEM PRODUTOS? Que bom. Porque é aí que entra o meu foco.

Existe uma confusão muito evidente hoje em dia que é a venda do empoderamento e as opiniões que ela divide. A questão é que EMPODERAMENTO não é produto para ser vendido. Você pode vender maquiagem linda, brincos lacradores, roupas e lingeries tombadores, produtos empoderados. Mas não vende empoderamento porque empoderamento é algo seu, só seu, que vem de dentro, que é pessoal, característico, um caminho único na vida. Ninguém pode fazer por você. Ninguém pode dar pra você. Muito menos vender para você.

Em NENHUMA dessas lojas foi anunciada a venda de empoderamento. E dizer que marcas estão vendendo empoderamento é no mínimo desonestidade.

Agora vamos conversar. Sabe aquela lingerie lindíssima que custa R$ 200,00 com uma modelo fazendo caras e bocas empoderadoras mas que não usa esta palavra? Ela está usando empoderamento para vender. Sabe aquela marca de maquiagem divertidíssima que usa cores e texturas diferentes falando que todo mundo pode tudo? O marketing dela É empoderamento. Sabe aquela blogueira que faz fotos, faz textos, faz tudo ao estilo VOCÊ PODE PORQUE SIM e ganha pra isso? Ela também usa empoderamento. Ninguém vai te vender empoderamento. E você ganhar com empoderamento também não é algo ruim DESDE QUE a marca seja verdadeira e responsável.

Fazer carão, fazer amizades e sair falando você pode e consegue também é uma forma de marketing. Usar modelos que te representem também faz parte. Afinal, o que não me representa não consumo, certo? Não é que as pessoas não estejam interessadas realmente em você e só vejam um cifrão na sua cara. Nada disso. Existe sim uma necessidade real de conseguir mostrar seu trabalho e haver a chance de pessoas comprarem, mas isso não quer dizer que seja o único interesse.

Eu tenho várias amigas que têm suas marcas e confecções e com algumas eu falto em comprar porque nem sempre eu posso dar um dinheiro em uma roupa nova ou algo novo devido à minha condição (salário anda ficando incompatível com as necessidades básicas). Mas nem por isso deixo de divulgar. Eu entendo que todo mundo tem que sobreviver e na boa, a menos que a marca tenha feito uma enorme burrada, eu não participo de boicote, muito menos promovo um.

Ninguém é obrigada a consumir trabalho algum isso é fato. Mas quero que entendam que não é porque uma marca mostra uma gorda feliz empoderada usando uma camiseta, uma lingerie, um biquíni que ela está se aproveitando de você. Isso é o que todo mundo usa. O que você tem que avaliar é se uma C&A da vida usa uma mulher magra falando que é gorda ou outra marca diz que você só vai ser empoderada se usar aquela marca em si. Fora isso não tá querendo te engabelar, tá só cumprindo seu papel de sobreviver.

Um dos motivos que eu sempre incentivo o consumo de pequenas produtoras (sim, mulheres, mães em especial) é porque sempre temos a oportunidade de criar um vínculo maior, uma convivência, quem sabe uma amizade? As coisas sempre são feitas na transparênciae na honestidade e, caso algum dia algo saia errado, você tem a chance de ser ouvida em uma reclamação.

Eu não sei de onde surgiu o assunto de vender empoderamento, mas na boa acho que ninguém aqui é desinteligente a ponto de ver que toda marca usa empoderamento visual para vender e deixa explícito que vende PRODUTOS. Eu fiz marketing por um ano para saber disso.

Quando cair uma problematização na era atual no seu colo faça um favor a si mesma e destrinche isso. Não é difícil. O que tá faltando é interpretação e consciência.

kiss the fat girl assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s