Desculpe o transtorno, preciso falar sobre Paola Altheia, NSE e a liberdade de seguir o trabalho de quem você quiser

Obviamente não conheci a Paola no jazz nem nunca fiz risoto com ela. Obviamente este título tem uma pegada mais irônica no intuito de aliviar o que eu vou dizer aqui porque pode ter muitos gatilhos. Obviamente ela nunca compôs uma música que eu saiba. Mas o que a Paola fez por mim e por muitas mulheres não pode e não deve ser apagado.

Recentemente algumas polêmicas envolveram o vídeo que ela fez que levou uma lista minha junto como colaboração ao blog do Não Sou Exposição e a polêmica em si pra mim não vem ao caso. Eu nem ia falar nada, mas teve TANTA GENTE me COBRANDO um posicionamento que eu resolvi dar minha palavra final.

Aqui eu nunca escondi a minha história de vida e de tentativa de emagrecimento. Nunca escondi de ninguém que eu já quis ter câncer para emagrecer com quimioterapia. Já fui tabagista um tempo achando que fumar emagrece. Já fiz dietas loucas, já descompensei meu organismo a ponto de adquirir doenças e já tomei remédios de outra pessoa que por pouco não me mataram. Por POUCO.

Quando eu leio o NSE eu sei MUITO BEM que é uma mulher magra falando ali. Eu nunca me esqueço, nunca me fiz enganada e para quem disse que sempre achou que era uma mulher gorda falando é porque nunca clicou em nenhum de seus vídeos. E eu me sinto representada por ela pelas coisas que ela fala e não pela aparência. Como já disse milhares de vezes tanto nas redes sociais quanto no blog quanto na vida é que cada um se sente representado por quem tem afinidade. Se eu não quiser me sentir representada por alguém, eu não sinto. Ninguém é obrigada a nada, especialmente a se sentir representada por quem as ideias não batem.

O que importa aqui é o meu ponto de vista que eu quero lhes oferecer. Se quiserem julgar este texto, meu ponto de vista e tudo mais, sugiro que não venham com “Ai eu nem consegi ler até o final!”. Se você não tem conhecimento do que eu estou falando, o julgamento – que NÃO VAI interferir no meu trabalho – será inválido.

A Paola é nutricionista. A Paola é uma pessoa que diariamente lida com mulheres e meninas com todos os tipos de corpos e que passam pela mesma pressão: a forma como somos tratadas como produto de exposição. Durante algumas conversas ela já me disse que ela não passa dietas. Ela mesma convence as pessoas a não fazer dietas. Ela segue sua linha de trabalho como nutricionista que serve justamente para tratar da alimentação como forma de saúde independente de engordar ou emagrecer. Ela fala de SAÚDE SEM GORDOFOBIA.

Agora você, pessoa gorda que com certeza já passou por inúmeros médicos na vida. Já pensou como teria sido diferente a sua vida se todos os médicos em que você tivesse entrado tivessem te tratado sem gordofobia? Já pensou entrar normalmente em um consultório com dor de cabeça e não ter receio algum de sair com uma dieta? Já pensou se os médicos do trabalho agissem de tal forma que você não tivesse medo de ser excluída com qualquer desculpa sem vergonha para ser eliminada – ou ser dito na cara mesmo que você tirou a maior nota mas não vai conseguir a vaga porque é gorda? Já pensou você nova, na adolescência, entrar em um consultório de uma nutricionista que vai te dizer que você não precisa fazer dietas, que vai cuidar da sua alimentação e que você não precisa agradar a ninguém com a sua aparência? Nossa eu com 32 anos sonho com isso (pena que ela é de outro estado).

Quantas meninas que a Paola não atende entram em um consultório de um nutricionista e já saem com uma “indicação” de um “endocrinologista muito bom” que vai te entupir de remédios que vão te deixar depressiva com 15 anos? Quantas meninas não entram em um consultório de um otorrino e ouvem que elas precisam emagrecer porque senão homem nenhum vai querê-las? Quantas meninas passam pelo que eu passei, pelo que você passou ou pior? Quantas pessoas você acha que já morreram ou chegaram perto da morte por negligência e gordofobia médica? Já pensou o que teria sido da sua jornada com uma Paola nela dizendo que você não precisa emagrecer e isso não tem relação com cuidar da sua saúde?

Depois do vídeo eu recebi MUITAS mensagens tanto de pessoas conhecidas quanto desconhecidas vindo me perguntar “COMO VOCÊ SEGUE ELA SENDO QUE ELA É MAGRA?”. A resposta é mais simples do que você pensa: eu cansei de ter minha capacidade julgada pelo meu peso. E, não consumir um conteúdo que para mim faz sentido, que para mim faz bem, porque a Paola é magra, não seria a mesma coisa? Eu estaria negando entender tudo o que ela explica e que eu não tenho acesso a esse conhecimento de forma tão esclarecedora, tão popular, só porque ela é magra? Eu sei que magrofobia não existe. Mas se pra você faz sentido, apenas não a siga. Para mim não faz, então eu a sigo.

Já tive nas minhas pages, blogs e textos pessoas que nunca conheceram meu trabalho, nunca buscaram conhecer meu trabalho julgando pela primeira coisa que viram. Já tive pessoas que se diziam minhas amigas, que nunca fizeram um mísero comentário positivo nos meus projetos, mas quando uma antiga adm deu uma escorregada a primeira reação desta pessoa foi ir lá atacar, chamar pessoas para atacar e de quebra ainda disse “Foda-se a página não é minha eu falo o que eu quiser”. Já tive gente falando pra mim que não gostava de mim porque eu não sustento carão. Já tive pessoas que chegaram para mim me dizendo que não me consideram gorda – alguém avisa a sociedade que me trata e me lê como gorda que estão todos errados por favor – e que eu deveria ENTREGAR MEU PROJETO PARA ELA CUIDAR. Puxa que legal. Por que não começava um novo? Por que quis um com – na época – 10 mil seguidores já? Já passei por todo tipo de situação pesada e injusta nos meus projetos e sempre soube separar as críticas que eu deveria levar adiante e pensar e as críticas que só servem pra destruir mesmo. E também aprendi a ver quem leva críticas para melhorias e quem só as encara como ataques. Isso faz muita diferença para mim.

Quando eu sigo pessoas, eu sigo conteúdo. Quando eu busco informação pode vir do Corcunda de Notre Dame. Desde que ele escreva coisas que fazem sentido, eu leio, ouço, vejo vídeos. Isso porque NINGUÉM é exposição. Ninguém é apenas aparência. Todo mundo tem conteúdo e você gostar ou não vem de afinidade e compatibilidade de ideias.

Eu acho que ninguém deve seguir o trabalho de quem não quiser. Eu também acho que todo mundo escorrega algumas vezes na vida. Pessoas vieram me falando até que iam desfazer amizades (modo de chamar do Facebook né, porque isso não é amizade) se eu continuasse seguindo e continuasse amiga dela porque ela errou aqui ali e acolá.

¯\_(ツ)_/¯

Fazêoquê?

Eu não sei vocês mas eu já fiz muita cagada na vida. Já fiz com pessoas não só comigo. Já errei. Já julguei. Já fiz coisas certas e fui mal interpretada e acabei saindo como a errada da história. Shit happens! E nem por isso meus amigos desistiram de mim e nem eu vou desistir de quem me faz bem. A partir do momento que uma amizade ou um relacionamento qualquer começar a ser apenas tóxico não trazendo nada de bom, aí eu dou todo o apoio para se afastar. Ninguém deve manter pessoas tóxicas perto de si. E isso vale para todos, especialmente para os médicos gordofóbicos que vão mais ferrar com a sua saúde do que melhorar.

Esta é minha palavra final sobre este assunto. Cada um tem a sua opinião, esta é a minha e eu a sustento. Porque sustentar carão pra mim é mole, eu gosto é de sustentar argumento.

E a quem continuar seguindo meu trabalho, minha gratidão repleta de amor ❤

kiss the fat girl assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s