O que fazer quando agem como babacas no meio da rua

A leitora Bruna pediu pra eu escrever sobre como reagir àqueles imbecis caras que passam de carro e gritam “Gorda” ou “Vai emagrecer porque você é gorda pra caralho!” e disparam sem deixar chances pra gente mandar tomar no c… E eu sei bem como é se sentir mal a respeito disso.

Primeiramente, não se sinta frustrada por se sentir mal quando algo acontece. Isso é um combo enorme de violência que engloba gordofobia e assédio (sim, assédio não é só um tarado te chamando de gostosa) coberto com uma calda de covardia e salpicado de doses de machismo e baixa autoestima. Em outras palavras, o cara é um banana-split de tosquice que se aproveita de um momento surpresa pra falar alguma merda, se sentir o rei da rua e sair correndo antes que receba a resposta que com certeza ele não aguentaria.

Antes de continuar, eu quero deixar aqui indicado o vídeo do Destruindo Relacionamentos que revela o que as cantadas diriam se a verdade fosse revelada e isso também serve para qualquer insulto que você receba na rua.

Tanto quando um cara passa, fala uma besteira e sai correndo, seja uma cantada ou uma ofensa, nunca se trata de desejo, de querer falar algo mesmo. Se trata apenas de querer reforçar um poder inexistente – talvez no mundo encantado dele exista – para se sentir bem consigo mesmo e achar que ele é o máximo. Ou seja… Um ser digno de pena.

Pare e pense: com qual objetivo uma pessoa insultaria uma desconhecida no meio da rua? Pra que isso seria feito? Qual o objetivo? No que vai acarretar esse comportamento? Não existe outra resposta senão o intuito de fazer a pessoa se sentir mal e isso, de alguma forma, faz o ofensor se sentir bem consigo mesmo e achar que ele tem algum tipo de poder. Só que ele não tem, tanto que não tem coragem de chegar e dizer na cara e aguentar as possíveis consequências de um confronto.

SOCO

Eu – em dias normais – não reajo a nada. Eu só obervo mesmo e imagino o quanto a pesoa deve estar no fundo do poço para sua única necessidade é sair de casa para ofender algum desconhecido na rua. Sério, que tipo de vida triste é essa onde você só se sente bem se faz mal a alguém? Será que isso vale a pena? Pra mim não. Por isso eu gasto meu tempo empoderando as pessoas para que elas se sintam bem consigo mesmas e percebam que alguém chamar de baleia na rua não me transforma em um cetáceo, me chamar de feia não tira minha beleza e me chamar de gorda… Bom isso só comprova que ele enxerga ué (sou mesmo, obrigada)!

melissa

Mas tem dias que eu acabo respondendo sim, inclusive murmúrios dentro dos transportes coletivos. Então quando eu ouço falando que eu sou gorda, eu digo que a visão está em dia que o oftalmo ia se sentir orgulhoso dele. Ou quando me chamam de feia eu mando um BROXA e tá tudo certo. Ou até levanto o dedo. Isso, na boa, se eu não estiver ouvindo alguma música bem legal e nem me importando pro mundo fora dos meus fones de ouvido. Sério, você chega a um ponto no empoderamento onde você entende que pessoas assim são tristes com vidas vazias e sem sentido e você é apenas poderosa e segue seu caminho. E deixa ele cruzar o caminho de quem dá uma boa nele. Não precisa ser você.

Claro, é bem diferente de voê estar em um lugar e ser abordada, ofendida e tudo mais. Daí você pode se defender com classe como dizer “Por gentileza, dirija-se ao setor de fezes” (um vá à merda gourmetizado). Se a pessoa bota a banca pra te confrontar você pode se defender sem se exaltar (porque acredite, quanto mais calma você disser pra pessoa ir se ferrar, mais raiva dá nela porque a pessoa que te ofende espera que você tenha uma reação explosiva. Não dê este gosto).

As melhores reações são sempre o ohar de desprezo, no máximo um dedo do meio que é um clássico e que de tanto ser usado quase não faz mais efeito. Dedo do meio é tipo o eu te amo dos palavrões.

finger

No começo eu sei que é difícil e nem sempre vai dar pra segurar uma explosão. Mas quanto mais você ignorar esse tipo de babaca, mais você será feliz na vida. E aos poucos vá entendendo que é justamente isso que o cara quer. Ele quer biscoitinho. Ele quer reação. Ele quer se sentir útil pra alguma coisa, mesmo que seja pra algo digamos…. INÚTIL. Entende?

Para casos de discriminação sempre se proteja de acordo com as leis. Para casos mais simples, sempre sugiro o olhar de foda-se. Faz bem pra pele.

olhar

kiss the fat girl assinatura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s