Não reduza suas chances a uma etiqueta

Um dos problemas mais comuns enfrentados por nós gordas é a questão de encontrar roupas que caibam em nós. Melhor dizendo, roupas que caibam, que não sejam mal feitas ou horrorosas e que não custem 2 mansões e um rim para não sairmos peladas por aí. E é por isso que vamos falar muito sério sobre isso hoje, ok? Ok.

Atenção

Vou dar o melhor conselho da sua vida, que já foi dito em milhares de blogs, tumblrs, instagrams, cartas de tarot, bolas de cristal, provavelmente até pela sua tia-avó:

EXPERIMENTE TUDO O QUE VOCÊ QUISER!

A partir de hoje você está PROIBIDA de sair de uma loja sem provar o tamanho máximo disponível daquela peça de roupa que você amou (mentira, quem sou eu pra te proibir, mas na boa, tenta ok?)

Eu sei que uma das maiores frustrações da vida de uma pessoa gorda é ir a uma loja, experimentar uma sessão inteirinha e nada servir e você voltar com aquele sentimento de AFF QUE BOS…. Mas pense por outro lado: o “não” das indústrias a gente já tem diariamente. Então, qual a diferença se corrermos o risco de obter um sim? Resposta: se corrermos esse risco podemos ter o SIM ao invés de ir pra casa com o velho NÃO.

Eu sei eu sei, a hora do provador pode ser uma das mais chatas e cruéis para uma pessoa gorda. Mas neste caso tudo é uma questão de mudar o pensamento. Chega mais.

Você está na loja e tal, daí você vê aquela saia lindíssima que você tanto queria. Chega mais perto, ela está em promoção. De R$ 90,00 passou pra R$ 20,00. Troca de coleção. Daí você usa normalmente 50/52 e vê que tem poucas peças na arara. Checa cada uma delas e a maior que você encontra é a número 44. Qual o pensamento que vem na sua mente?

melissa cry
Eu vou chorar

Ok pode não ser isso. Mas é bem provável que você fique chateada.

Daí você já está naquela pegada xingando toda a gordofobia do mundo, falando que as lojas são escrotas, que se a maior parte da população é gorda por que não fazer roupas para gordas etc… Quando você se lembra que você tem duas opções:

Alternativa A: Você pega a número 44 e de teimosa se soca dentro do provador e tenta provar a bendita pois vocês estão predestinadas ainda mais com aquela promoção.

Alternativa B: Vai embora sem provar.

Eu passei por isso com meu corpitcho 52 e…

IMG_9334
TCHARAMMMM

Aqui está minha saia de couro sintético da Marisa número 44 lindíssima no meu corpo 52. Não é feitiçaria, não é tecnologia, é teimosia mesmo!

Outra situação:

Você tem um vestido lindo jeans (ou seja, provavelmente não estica) e você engordou 20 kg desde que comprou ele. Você AMA aquele vestido e não quer que ele se vá da sua vida. Mas não cabe mais e o peito não cabe, a cintura aperta, nada mais combina, não dá certo. Você:

Alternativa A: Resolve tentar reformar ele e usa e abusa da sua roupitcha reformada e sabe que, se mesmo assim não ficar legal, pode doar ou vender para um brechó.

Alternativa B: Já se desfaz dele.

Eu tentei A de novo e…

lika jeans
Este colete e esta saia eram um vestido!

Não se deixem enganar por estas fotos mágicas que não sei como escondem minha pancinha (eu não encolho, juro). Muita coisa não cabe em mim. Mas se eu não tivesse tentado eu não sairia com o que eu quero. Aliás, em tempo, este cropped estampado de tênis é tamanho M e a vendedora não queria me deixar levar porque ela achava que eu ia trocar caso não servisse (era de promoção, sem troca, sem prova e eles sabem que estão errados ao fazer esse tipo de coisa). Eu tive que mentir e falar que era de presente (depois conversamos sobre a falta de preparo dos vendedores).

E vocês acham que parei por aí? Eu tenho saia 40 (!!!!!), tenho blusa M, blusa P, tenho jaqueta G, tenho vestido M… Tenho tanta coisa que quando perguntam “qual tamanho” que eu quero na loja eu já falo “Colega, tamanho EU ok? Você quem lida com essa confecção diariamente.”

É ÓBVIO que eu já peguei calça que parecia maior e não passava das coxas, que eu já peguei vestido que grudou nos peitos que pra tirar foi o sufoco, que eu ameacei provar e já vi que o tecido não tava de bom humor. Muitas, muitas vezes foram assim. E o que eu fiz? Chorei? Não. Vida que segue, bora gastar dinheiro em outra loja. A situação é bem simples: se meu corpo não é contemplado com a sua costura, a sua loja não é contemplada com o meu dinheiro. E cá entre nós, sabemos que uma loja precisa muito mais dos clientes que os clientes de uma loja, portanto seria ideal ficarem espertos. Obrigada, de nada!

thank u

Todos os dias a sociedade tenta enfiar um “não” diferente na nossa cara. E quando acaba a criatividade, eles reciclam ou usam os velhos empoeirados “nãos” que nós já aprendemos a passar por cima.

Não se trata da descoberta da cura para uma doença, não se trata da bolsa de valores, não se trata de ganhar um bilhão de reais em barras de ouro. É só mais uma peça de roupa. Relaxa!

Então, quando uma etiqueta disser para você que você não pode comprar aquela roupa, prove que ela está errada. E se por acaso não couber, tire, devolva e saia feliz tendo em mente duas coisas muito importantes:

1- É a roupa quem tem que caber em você e não você na roupa.

2- Azar da roupa que teve a chance de ficar espetacular no seu corpo e devido à má administração do estilista, ela vai ficar mais um tempo no cabide enquanto outra roupa de sorte vai arrasar com você nas ruas.

rebel sexy

Seja teimosa. Mostre que nós vamos conquistar o SIM em lugares e etiquetas que tentam nos garantir o NÃO.

Melhor sorte na próxima vez, sociedade ❤

FAT KISSES 4U2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s